terça-feira, 8 de abril de 2014

A melhor line púnica

 Masinissa casa com Sofonisba, que devia ter dotes muito especiais, mas Cipião ralha-lhe e diz-lhe para se desfazer da bela. Acabadinho de casar, vai ter com a estimada esposa e pede-lhe que morra.
O escravo traz veneno e Sofonisba tem a melhor line das guerras púnicas. Olha para  a taça mortal  e diz ao marido: Se é o melhor presente que foste capaz de arranjar, aceito.

(Lívio, no original traduzido, e uma interpretação feminista  area studies, porque não quero que vos falte nada)

7 comentários:

  1. Tito teve mais de um alívio em ab urbe condita
    também despachou outras: as das bacanais ... e não só.
    'era um ver se te avias'

    hoje, de bom grado, trocavam a taça pela cama do Cipião ou dum centurião

    ResponderEliminar
  2. Tito Lívio sempre me pareceu injustamente mais cultuado doque Polibio!!! O preceptor de Cipião e fonte de Lívio sempre foi um bocado derrogado à natureza de fonte de mestres!! Bem sabemos que muito do que conhecemos de Polibio se deve a Lívio, mas....! O mesmo quase sucede com Lucrécio face a Polibio!! Do pouquíssimo que sei parece-me assim...
    Já quanto às mulheres, da época, claro está, e de cuja ideia perdurou mais de 19 séculos, mesmo com alguma relutância, dele que não minha, para saber de interpretações não feministas só mesmo o Seneca!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. deixe lá a area studies, também não ligo muito

      Eliminar
  3. Mas, caríssimo FNV, há muitíssimas mais lines Púnicas, especialmente da terceira, que enunciam as mulheres, bastante abnegadas que exprimem um outro feminismo, talvez mais contemporâneo!!! Não!??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. interessa-me a line em si, não por feminismo.

      Eliminar
    2. Eu tendo a não entender o comentário da mulher por eloquente!! Entendo o comentário como resignação grata, no sentido de que à falta de melhor veneno aquele bem serve e sempre vai melhor que a adaga! A mulher queria, evidentemente, morrer!!

      Eliminar
  4. Há aquela do Viriato, já não sei onde li isto, que depois de casar com a Romana, e acabado o banquete, sem mais, carrega a rapariga, à laia de carteiro, e zarpa a galope prós montes!! A rapariga e os montes, mais nada!! A essência do espírito Lusitano!!

    ResponderEliminar