quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Dia 4 : psico-explicação técnica possível

Aviso: a minha previsão é um empate, que, na prática, é uma derrota para os tremendistas.

A meio desta legislatura os media de serviço e as esquerdas  abandonaram a ideia do levantamento popular, da espiral recessiva  e do segundo resgate ( Maria Flor Perdoso está nesta altura, sem se rir, na Antena 1 a dizer que isso era ideia do... PSD). Até essa altura, cenários  apocalípticos eram razoávelmente assimilados pelas pessoas. A situação era nova, por isso todos as fichas   eram admisssíveis. O problema foi depois.

Nos últimos dois anos, os cenários apocalípticos não se verificaram. Isto devia ter feito os media e as esquerdas parar  para pensar ( O Pedro Magalhães tem falado nisto). Por exemplo, pensar no que estava  a acontecer. Optaram por outra via.  Na boa tradição  agit prop, passaram a pintar todos o sindicadores positivos como falsos, continuaram  a martelar o caos, a desgraça, o horror. Aqui a porca torce o rabo.

É letal, em democracia ( em Cuba ou na Coreia não faz mal), negar a realidade porque induz desconfiança  nos  eleitores. Na vida privada também: não consigo fazer passar 200 sms de uma tipa com fotos elucidativas e palavras doces por um assunto de trabalho. Mas há pior.
A insistência em descrever tudo como péssimo pior que mau ( autoria de  um comentador futebolístico), por estupidez, raiva ou pura vaidade, criou nas pessoas  não só uma sensação  de dessensibilização  sistemática ( usamos isso  no tratamento  das neuroses obsessivo-compulsivas) como um efeito perverso: as pessoas passaram a associar a desgraça  a quem dela tanto fala. Abyssus abyssum invocat...

6 comentários:

  1. Este post, como o anterior (e já o outro antes sobre assuntos conexos) são de uma lucidez invejável.
    O problema que se põe é o de saber se a esquerda tem margem para sofrer um abalo suficientemente forte que quebre a sua visão sectária do mundo, ou se vai mesmo apodrecer aos poucos até se tornar inútil e ser substituída por outra gente, outros partidos, outros sindicatos que por enquanto não se vislumbram.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sofrerá porque está viciada no aproveitamento da desgraça alheia em vez de a tentar remediar. Tsipras compreendeu isso, mas custou-lhe muito.

      Eliminar
  2. Sim, caríssimo FNV, já ninguém, com pés firmes, se comove com falsos profetas e cassandrinhas!!
    Concordo com tudo exceptuando a dessensibilização sistemática que me cheira a coisa que deve fazer mal ao estômago!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E faz, são coisas dos meus colegas comportamentalistas...

      Eliminar
  3. « A Marktest divulgou esta quarta-feira a sondagem com a maior amostra das legislativas, 1.607 pessoas. De acordo com a empresa de estudos de mercado, a coligação obtém 41% dos votos, enquanto o PS se fica pelos 29%. »

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acredito. Os shy voters estão no PS.

      Eliminar